Menina_manga_quionga_2018_1

Não tenho informação de danos humanos, materiais certamente que os há, de pequena monta é certo, sobre a cobertura de casas precárias. De uma coisa estou certo: a safra de manga este ano está perdida. Completamente. E isto como consequência de rajadas de ventos que já duram trés dias. E que não dão trégas, para a nossa desgraça. Ou seja – e tudo o vento levou. As imagens são eloquentes. Tal como em Quionga, para onde me deslocara em serviço, na vila-sede de Palma a calamidade impressiona. As frondosas mangueiras do local onde se realizam as reuniões públicas – Mwembengoma – ficaram literalmente “nuas”. Para minorar os prejuízos, mulheres, sobretudo crianças, estão a recolher a fruta, ainda verde claro. Ela será descascada, cortada em pedaços que serão postos a secar, obtendo a partir dai o chamado “Azedo”, “atchetu” em lingua macua, um condimento para o caril e tocossados locais. Infelizmente, soube-o, a maioria das crianças envolvidas nesta campanha de apanha, não frequenta a escola. Muitas delas vão vender o produto. Aliás, este um assunto que iremos abordar detalhadamente no programa Palma, Hoje! transmitido na Rádio Comunitária de Palma.
Fotos: Edmundo Galiza Matos

Anúncios