A empresa pública de telefonia móvel moçambicana mCel exonerou 11 gestores, rescindindo contratos de trabalho com alguns, incluindo das áreas técnica e financeira, visando a contenção de custos, noticia hoje a Agência de Informação de Moçambique (AIM).

Uma fonte da empresa confirmou à Lusa as mexidas nos postos de direção da mCel, adiantando que, para os lugares deixados vagos, foram apontados quadros mais novos da empresa, mas que terão regalias abaixo das que eram oferecidas aos exonerados.

As exonerações atingiram ainda gestores das áreas comercial, logística, aquisições, contabilidade, transporte e património, bem como planeamento e engenharia de rede.

As mexidas inserem-se no quadro do processo de fusão entre a mCel e a operadora pública de telefonia fixa Telecomunicações de Moçambique (TDM), decidida no ano passado pelo Conselho de Ministros de Moçambique, como forma de evitar o colapso das duas empresas e torná-las competitivas.

Fonte: Lusa

Anúncios