Duas pessoas morreram na segunda-feira durante um assalto a um centro de saúde em Nangade, norte de Moçambique, na província de Cabo Delgado, anunciou hoje a polícia.

As vítimas são um médico do posto de saúde e a mulher de um comerciante daquele distrito, referiu Inácio Dina, porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM), em conferência de imprensa.

O grupo suspeito dos homicídios vandalizou o posto de saúde, roubou medicamentos, uma viatura e uma motorizada.
“Temos uma força a fazer o desdobramento em Nangade para a neutralização deste grupo”, disse o porta-voz da polícia moçambicana.

Este é o mais recente de uma série de casos de violência com vítimas mortais registados desde outubro no extremo norte de Moçambique na província de Cabo Delgado.

No fim de semana, um grupo armado matou cinco pessoas e feriu várias outras num ataque à sede do posto administrativo de Olumbe, distrito de Palma, na mesma região.

“O esforço neste momento está sendo feito por toda província para que não se dê espaço a estes homens que protagonizaram este ataque”, afirmou Inácio Dina.

O porta-voz da PRM disse, no entanto, que é prematuro associar estes casos mais recentes aos incidentes de Mocímboa da Praia, também em Cabo Delgado, que opuseram a polícia e um grupo que manteve a vila sitiada quase dois dias (05 e 06 de outubro)

“O que se sabe é que um grupo está a vandalizar infraestruturas e a tirar vidas”, declarou o porta-voz, reiterando que as investigações continuam.

Dados apresentados hoje pelo porta-voz da polícia indicam que mais 300 pessoas já estiveram detidas desde outubro por suspeita de envolvimento nos incidentes de Mocímboa da Praia.

Fonte: Lusa

Anúncios