A campanha eleitoral para a eleição intercalar para presidente do município de Nampula, norte de Moçambique, arranca hoje numa corrida que vai contar com cinco candidatos.

A eleição intercalar no município de Nampula, terceira principal cidade moçambicana, será realizada na sequência do assassínio a tiro autarca, Mahamudo Amurane, a 04 de outubro do ano passado.

O porta-voz da Comissão Nacional de Eleições (CNE), Paulo Cuinica, disse à Lusa que estão inscritos 296.590 eleitores para a votação do dia 04.

A votação irá decorrer em 401 mesas colocadas em 54 postos de votação.

Concorrem ao lugar Amisse Cololo, da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder, Paulo Vahanle, Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), principal partido da oposição, Carlos Saíde Chaúre, do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), terceiro maior partido.

Na corrida participam ainda Filomena Mutoropa, do Partido Humanitário de Moçambique (PAHUMO), e Mário Albino, da Ação Movimento Unido Salvação Integral, constituído por um grupo de cidadãos da cidade de Nampula.

Numa exortação por ocasião do início da campanha eleitoral, o presidente da CNE, Abdul Carimo, pediu aos concorrentes para primarem pelo civismo e respeito da lei, abstendo-se de atos contrários à lei.

“A CNE exorta os partidos políticos a guiarem-se pelo código de conduta eleitoral, para que a eleição decorra em ambiente de paz e dentro das normas de convívio social”, declarou Abdul Carimo.

Mahamudo Amurane ascendeu à presidência do município de Nampula em 2014, depois de concorrer e ganhar pelo MDM.
Ainda não são conhecidas as causas do seu assassínio de Mahamudo Amurane.

Fonte: Lusa

Anúncios