Mocimboa_praia_atacantes_out_2017

Alguns dos integrantes do grupo de atacantes capturados pela polícia

O ministro da Defesa da Tanzania, Hussein Mwinyi, defendeu na terça-feira a tomada de medidas necessárias contra cidadãos do seu país que integram grupos armados de inspiração islâmica suspeitos de realizarem ataques no norte de moçambique.

“Para os criminosos da Tanzania que se encontram aqui em Moçambique, incluindo os homens armados que aterrorizam Mocímboa da Praia, devem ser tomadas medidas necessárias”, declarou Hussein Mwinyi, citado hoje pelo Notícias, principal diário moçambicano.

Hussein Mwiny falava após um encontro com o seu homólogo moçambicano, Atanásio Mtumuke, para discussões sobre cooperação no domínio da defesa.

Segundo o ministro tanzaniano, os dois países enfrentam novos desafios no sector da defesa, incluindo terrorismo, crimes transfronteiriços e pirataria.

“A partir de já, os nossos países vão cooperar no combate a estes males”, assinalou Hussein Mwinyi.

Por seu turno, o ministro da Defesa moçambicano adiantou que outros temas de interesse na cooperação com a Tanzania são a delapidação de recursos naturais, migração ilegal e pirataria.

“Falámos de tudo o que tem a ver com a segurança nos dois países”, acrescentou Atanásio Mtumuke.

As autoridades moçambicanas apontam para a presença de cidadãos da Tanzania no grupo armado que tem protagonizado ataques no distrito de Mocímboa da Praia supostamente para impor um modo de vida inspirado no islamismo.

Dezenas de membros do grupo foram detidos ou mortos em confrontos com as Forças de Defesa e Segurança na região.

As autoridades moçambicanas afirmam, entretanto, que conseguiram controlar a situação em Mocímboa da Praia.

Fonte: Lusa

Anúncios