Ferro_minerioO futuro empreendimento de extração e processamento de ferro em Tete, no interior de Moçambique, vai ter ações em bolsa, anunciou hoje a ministra dos Recursos Minerais e Energia, Letícia Klemens.

“Nos termos do contrato, 10% das ações serão colocadas à venda a favor de moçambicanos e instituições nacionais através da Bolsa de Valores de Moçambique”, cabendo outros 5% para o Estado moçambicano”, referiu.

A ministra falava na cerimónia de assinatura do contrato mineiro com a Capitol Resources, associada à Baobab Resources, multinacional australiana.

O projeto está orçado em cerca 16,9 milhões de euros e na fase de construção deverá criar 3.550 postos de trabalho para moçambicanos, mantendo-se 2.110 empregos na fase de exploração, anunciou a empresa.

“Estamos agora na fase de garantir parceiros de desenvolvimento e financiamento”, afirmou Ben James, diretor executivo da Capitol Resources.

A base do investimento é uma concessão mineira nos distritos de Chiúta e Moatize, numa área com cerca de 19.878 hectares que se prevê conter 92 milhões de toneladas de minério de ferro para explorar a céu aberto numa mina com 34 anos de vida útil.

Do total da área, cerca de 4.500 hectares estão destinados à implantação de uma fábrica de processamento de ferro.

A mina e a fábrica estarão ligados ao distrito de Moatize por uma estrada asfaltada de 41 quilómetros e 58 quilómetros de linha de energia elétrica.

Letícia Klemens anunciou que estão previstos 7,3 milhões de euros de investimento em ações de responsabilidade social com incidência em atividades socioeconómicas negociadas entre as comunidades, governo local e a Capitol Resources.

Ben James esclareceu que o número de famílias que necessitam de ser reassentadas não chega a 50.

“Trabalhamos com o governo local e com as famílias”, realçou, referindo que “a área escolhida é a mais próxima possível da mina para permitir que as pessoas permaneçam dentro das suas comunidades e beneficiarem das oportunidades de emprego”, concluiu.

Fonte: Lusa

Anúncios