Nampula_conselho_municipalOs partidos Frelimo e Renamo apresentaram, neste sábado (25.11), os seus candidatos para as eleições intercalares na cidade de Nampula, capital da província homónima. A votação, programada para 24 de janeiro de 2018, foi convocada após o assassinato do edil Mahamudo Amurane, no mês de outubro.

O partido no poder em Moçambique, Frelimo, vai concorrer com Amisse Khololo, de 58 anos. Ele é militante desde a sua juventude. Já desempenhou várias funções no Governo e atualmente é diretor do secretário técnico da Assembleia Provincial de Nampula. Khololo, único candidato interno do partido, foi eleito por aclamação com 75 votos, que representa a totalidade dos participantes.

Amisse Khololo não fez muitas promessas. Entretanto, no seu discurso inaugural como candidato disse que, caso ganhe as eleições, vai criar um plano de contingência do seu Governo municipal face às calamidades naturais, durante o período chuvoso que vai coincidir com os oito meses da sua governação.

“Agora vamos entrar numa época chuvosa em Nampula e ai é preciso nos acautelar, tendo o plano de contingência para que, realmente, nós possamos singrar das dificuldades que poderão advir”, sublinhou. Para Khololo,  a sua candidatura é um desafio que lhe foi imposto pelos seus camaradas, e, por isso, promete satisfazer os anseios do partido.

Já  a Renamo indicou, também por consenso e sem opositor interno, o deputado da Assembleia da República Paulo Vahanle, de 57 anos de idade. É a primeira vez que o partido vai concorrer às autárquicas depois de ter boicotado, alegadalemente devido à irregularidades, as eleições de 2013 – da qual Mahamudo Amurane, do MDM, foi vencendor.

Paulo Vahanle prometeu prover os cidadãos de Nampula de água potável, e apontou como desafios para o próximo Governo a abertura e melhoria de transitabilidade nas estradas e a remoção do lixo da cidade.

“Nunca contei com esta indicação a candidato do partido, foi uma surpresa, mas os membros da Renamo da cidade de Nampula confiaram em mim, então tenho que desafiar a essa candidatura. Os munícipes devem esperar de mim um tratamento condigno, uma cidade melhor que esta”, disse.

Entretanto, Filomena Mutoropa, candidata do Partido Humanitário de Moçambique (PAHUMO), que também concorreu em 2013, foi apresentada a 9 de novembro. Ela disse que se vai se inspirar na governação de Amurane para a melhoria continua das condições de  vida dos cidadãos de Nampula.

“Vamos criar boas condições para os cidadãos de Nampula, através do fornecimento de água, corrente elétrica, estradas, remoção do lixo e tudo que for necessário para o bem dos cidadãos”, ressaltou.

O Movimento Democrático de Moçambique (MDM) ainda não apresentou o seu candidato ao escrutínio. Porém, o delegado daquele partido na cidade de Nampula, Luciano Tarieque, assegurou que para breve será conhecido, estando neste momento ainda a decorrer os trabalhos internos para a eleição do mesmo.

De acordo com o calendário eleitoral, emitido pelo Secretariado Técnico da Administração Eleitoral (STAE), a apresentação de todos os candidatos deve ocorrer até 7 de dezembro.

Anúncios