O pacote negociado inclui ainda pensão, casa, transporte e alojamento de férias, seguro de saúde e viagens aéreas ilimitadas.

Robert-Mugabe

REUTERS/MIKE HUTCHINGS

Robert Mugabe terá aceitado renunciar à presidência do Zimbabué em troca de imunidade e proteção, segundo informaram fontes próximas da negociação à agência noticiosa Reuters. O pacote negociado inclui ainda pensão, casa, transporte e alojamento de férias, seguro de saúde e viagens aéreas ilimitadas.

Na terça-feira, e na sequência de uma movimentação militar, o ex-presidente do país africano, Robert Mugabe, 93 anos, demitiu-se do cargo que ocupava desde a independência, em 1980. O cargo vai ser assumido, já esta sexta-feira, por Emmerson Mnangagwa, ex-vice-presidente que havia sido destituído no início do mês.

Fonte governamental disse que Mugabe afirmou aos negociadores que pretendia morrer no Zimbabué e que não planeava viver no exílio. “Foi muito emocional para ele e ele foi contundente”, garantiu esta fonte. “Para ele era muito importante que lhe fosse garantida segurança para ficar no país… embora isso não o impeça de viajar para fora quando queira ou tenha de o fazer”, acrescentou, citada pela Reuters.

Uma outra fonte afirmou à agência noticiosa que Mugabe “está ciente da hostilidade pública” em relação à mulher. Por isso, disse, foi necessário assegurar também a segurança de Grace Mugabe e restante família.

O seu próprio partido, a ZANU-FP, tinha emitido um ultimato no domingo a exigir a demissão de Mugabe, que terminou ao meio-dia de segunda-feira sem qualquer sinal emitido pelo ainda presidente.

Pelo contrário, e nessa mesma noite, Mugabe emitiu a sua primeira mensagem pública desde a sublevação militar contra o seu governo e pediu que o Zimbabué regressasse à normalidade e iniciasse uma nova etapa sem espírito de vingança.

Esta iniciativa constituiu uma desilusão para a população, que tinha saído em massa para as ruas no sábado numa manifestação de rejeição face ao veterano líder do país, com 93 anos.

De acordo com uma das fontes disse à Reuters, terá sido este o momento em que Robert Mugabe percebeu que seria afastado sem dignidade, acabando por aceitar resignar. “Ele percebeu que festa tinha acabado”.

Após Mugabe ter recusado demitir-se, o partido desencadeou um processo destinado a fazer aprovar no hemiciclo uma moção de censura, que não foi concretizada devido à renúncia definitiva entretanto anunciada pelo ex-presidente.

Anúncios