A Emirates, companhia aérea global, com sede no Dubai, Emirados Árabes Unidos, poderá voar para Moçambique na base de um acordo de ligações firmado com a sua congénere LAM – Linhas Aéreas de Moçambique, anunciou nesta sexta-feira, dia 10 de novembro, o jornal ‘Notícias’ que se publica na cidade de Maputo.

José Bernardo Maneia, cônsul de Moçambique no Emirado do Dubai, explicou ao jornal que o acordo foi assinado há algum tempo, decorrendo agora discussões sobre as formas da sua operacionalização.

As ligações aéreas vão aproximar-nos gradativamente dos Emirados Árabes Unidos, conhecidas as suas potencialidades em vários sectores de desenvolvimento, disse José Maneia ao ‘Notícias’.

Responsáveis pela companhia aérea árabe têm defendido, em ocasiões anteriores, a necessidade de dar enfoque estratégico ao continente africano, apontando para um aumento nos destinos continentais, olhando para esta região como potência em mercados emergentes. E dentro dessa estratégia, Moçambique consta como um dos potenciais destinos da companhia.

De acordo com a fonte, a ligação aérea entre os Emirados Árabes Unidos e Moçambique insere-se num pacote de projetos em perspectiva entre as duas partes que inclui outras áreas como a mineração, agricultura, construção, serviços, turismo, entre outros.

O cônsul José Maneia refere nesta entrevista o interesse de diversas empresas de destaque em vários sectores da atividade em Moçambique, não só nas áreas das energias renováveis, mineração e infra-estruturas, com igualmente na produção agrícola, distribuição alimentar e até na construção de uma clínica hospitalar. Factores que, em sua opinião tornam além disso maior o interesse da Emirates e da LAM por uma nova linha aérea entre o Dubai e Maputo.

Presentemente, a Qatar Airways, companhia com sede no Emirado do Catar, igualmente no Golfo Pérsico, tem voos regulares entre Maputo e Doha.

Anúncios