Rubis-de-MoçambiqueA empresa mineira australiana Mustang Resources vai realizar a partir desta sexta-feira e até à próxima segunda a sua primeira venda de rubis extraídos do norte de Moçambique, onde anunciou que a operação está a exceder as expetativas.

“À partida aspirávamos alcançar a meta de 200 mil quilates (40 quilos), mas conseguimos duplicar” a quantidade de pedras preciosas para venda, referiu o diretor executivo Christiaan Jordaan, numa declaração distribuída aos acionistas.

Um total de 81 quilos de rubis de Montepuez, província de Cabo Delgado, vão estar à venda em Port Louis, República das Maurícias, local escolhido para o concurso a que devem ser apresentadas propostas fechadas (closed bid tender).

Um total de 42 compradores da Tailândia, Índia, Sri Lanka, Hong Kong, Estados Unidos da América e países europeus estão interessados nas pedras moçambicanas, anunciou a Mustang.

“É cada vez mais claro que Montepuez pode gerar produção e fluxo de caixa em muito maior escala” que o inicialmente previsto, referiu o responsável pela empresa mineira, acreditando que o crescimento pode ser contínuo ao longo dos próximos anos.

Planos para a próxima década estão já em cima da mesa.

O projeto mineiro de Montepuez consiste em três licenças e uma concessão que cobrem 19.300 hectares junto ao maior depósito de rubis do mundo, descoberto pela multinacional Gemfields, em 2012.

Logo após a venda, que esta sexta-feira arranca, vai começar uma nova fase de expansão da mina que deve estar concluída em julho de 2018.

A Mustang pretende instalar equipamento e criar condições de extração para fazer duas vendas de rubis em 2018 com um total de um milhão de quilates (200 quilos) de rubi e outras três vendas em 2019.

Fonte: Lusa

Anúncios