Pemba_porto

Vista do porto da cidade de Pemba, norte de Moçambique.

Os principais portos marítimos de Moçambique registaram um aumento de movimento de carga no primeiro semestre deste ano, anunciou o governo. O manuseamento de carga nos primeiros seis meses de 2017 cresceu 23% relativamente ao mesmo período de 2016, anunciou o ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, citado pelo jornal moçambicano Notícias esta quarta-feira.

O governante atribui o crescimento “à estabilização dos preços de mercadorias no mercado internacional”, tais como o carvão, açúcar e algodão, produtos de exportação de Moçambique. No entanto, “o volume de carga que temos estado a manusear está abaixo daquilo que é a capacidade total instalada no país, ao nível dos portos, que anda na ordem de 74 milhões de toneladas”, acrescenta.

Seja como for, são esperados ainda mais movimentos nos próximos meses, uma vez que “o segundo semestre de cada ano é sempre o mais ativo”, dinamizado por exportações do setor primário.

Carlos Mesquita falava na terça-feira durante uma visita à Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Moçambique (Facim), principal certame de negócios do país, a decorrer até dia 3 de setembro nos arredores de Maputo. O ministro dos Transportes e Comunicações destacou a importância de os empresários tirarem partido dos corredores logísticos que atravessam o país.

Já na segunda-feira, durante a inauguração da feira, o Presidente da República, Filipe Nyusi, considerou que as ferrovias que ligam Moçambique à África do Sul, Zimbabué, Zâmbia, Suazilândia e Maláui são ativos que devem ser capitalizados.

Fonte: Lusa

Anúncios