Filipe_nyusi_jacob_zuma_2017_agosto_maputo

Jacob Zuma em Maputo esta sexta-feira, 25/Foto de Ferhat Momade

Os governos de Moçambique e da África do Sul anunciaram hoje, em Maputo, a decisão de acelerar a implementação do acordo de extensão de vistos de permanência nos dois países e do funcionamento ininterrupto do principal posto fronteiriço.

Num discurso, por ocasião do almoço de Estado que ofereceu ao Presidente sul-africano, Jacob Zuma, o chefe de Estado moçambicano afirmou que Maputo e Pretória acordaram na necessidade de impulsionar a medida que prevê o alargamento do visto de permanência em ambos os países de 30 para 60 dias.

O prolongamento do prazo de visto entre Moçambique e África do Sul entrou em vigor no início deste ano, mas tem sofrido percalços devido a divergências de interpretação pelos serviços migratórios de ambos os países.

O Presidente moçambicano adiantou ainda que foi decidido tornar mais eficiente a decisão de manter aberta a fronteira de Ressano Garcia, sul do país, sem interrupção.

Filipe Nyusi congratulou-se com a constituição de uma equipa técnica que vai estudar a viabilidade de um projeto de desenvolvimento de uma fábrica de ferro e aço em Moçambique e com capitais sul-africanos e a assinatura de um acordo quadro entre as companhias energéticas moçambicana Eletricidade de Moçambique (EDM) e sul-africana ESKOM.

“As decisões desta jornada de trabalho contribuirão para impulsionar a implementação efetiva dos projetos económicos acordados nestas duas sessões”, afirmou Filipe Nyusi.

Falando na ocasião, o chefe de Estado moçambicano convidou os investidores sul-africanos a ajudarem Moçambique a desenvolver o potencial que detém em recursos energéticos, agricultura, turismo e infraestruturas.

“Reiteramos o nosso convite para que a África do Sul se junte a nós para darmos substância aos projetos âncora em Moçambique, com destaque para os de geração de energia elétrica, transportes e comunicações, turismo, agroprocessamento, pecuária e mineração”, declarou Filipe Nyusi.

Por seu turno, o Presidente sul-africano afirmou que os dois governos devem empenhar-se na busca de melhores soluções para o bem-estar dos dois povos, apontando a necessidade do estreitamento da cooperação bilateral.

“Há a necessidade urgente, mas mais importante ainda, há a necessidade de um maior dinamismo na interação entre os nossos ministros e entidades estatais para se conseguirem melhores resultados na cooperação bilateral”, declarou Jacob Zuma.

Zuma apontou a energia, agricultura e recursos minerais como áreas de interesse na cooperação bilateral, defendendo a intensificação dos investimentos nesses domínios.

O chefe de Estado sul-africano terminou hoje uma visita de dois dias a Moçambique, no âmbito da reunião bianual entre os dois governos.

Fonte: Lusa

Anúncios