Inacio_natividade_toronto

Um líder comunitário moçambicano em Toronto, no Canadá, apelou hoje ao desarmamento em definitivo da Renamo e dos outros partidos da oposição em Moçambique.

“A estabilidade política está garantida, mas é necessário que a Renamo desarme em definitivo. Se quer ser um parceiro económico, deve deixar de andar armada. Nós queremos os partidos políticos que funcionem como uma plataforma de paz, como nos outros países, e não tenhamos partido armados”, afirmou Inácio Natividade.

O dirigente falava à agência Lusa durante o jantar da diáspora moçambicana no Canadá, na véspera do aniversário do Dia da Independência de Moçambique, e que decorreu num restaurante português em Toronto, localizado na College Street.

Inácio Natividade que é empresário, na qualidade de cidadão, mostrou total apoio incondicionalmente às iniciativas do presidente do país, Filipe Nyusi, num processo de paz e de diálogo com a oposição, nomeadamente com a Renamo e com outra oposição que esteja armada.

“Queremos que todos se envolvam na paz em Moçambique. O processo de paz interessa a todos nós Moçambicanos, quer seja dentro do país quer seja fora. Pretendo com isto dizer que um país necessita de crescer com a paz, por isso, é preciso que a Renamo desarme em definitivo”, apelou.

Quanto às comemorações do Dia da Independência de Moçambique, que se celebram todos os anos no dia 25 de junho, desde 1975, “é uma data importantíssima para todos os moçambicanos”, naquele que é um “ponto de referência para a moçambicanidade”.

“Queremos relançar a moçambicanidade para o país inteiro para mostrar que Moçambique está vivo não só no país, mas também fora dele. A comunidade da diáspora vive intensamente os acontecimentos sócio-políticos e económicos do país. Queremos que haja um crescimento económico e que o país se reencontre no caminho do progresso e no desenvolvimento económico”, acrescentou.

Outra das prioridades que Inácio Natividade realçou como necessária é “acabar com a pobreza” pois o Moçambique tem “imensos recursos que podem ajudar a mitigar a pobreza”, salientando para isso, a necessidade de se atingirem os índices de crescimento económico de 2015 de seis a sete por cento “uma meta que se torna uma necessidade e um grande desafio económico”.

Há 25 anos que a diáspora moçambicana assinala em Toronto o Dia da Independência de Moçambique.

Existem cerca de 50 moçambicanos a residir no Canadá, estando a maioria localizada na Colúmbia Britânica.

Fonte: Lusa

Anúncios