O Governo de Moçambique aprovou um contrato de concessão que vai permitir avançar com o projeto de construção de um terminal marítimo de gás natural liquefeito (GNL) em Palma, norte do país.

A “luz verde” para o investimento representa mais um passo para edificar a rede de infraestruturas que vai permitir exportar gás natural da Bacia do Rovuma a partir de 2022.

“No âmbito do contrato, a ser outorgado entre o Governo e a sociedade Mozambique LNG Marine Terminal Company SA, a concessionária irá construir, instalar, deter, financiar, gerir e operar o terminal marítimo”, refere informação hoje publicada no portal do Governo a propósito da reunião de terça-feira do Conselho de Ministros.

A constituição da sociedade não foi detalhada, mas têm sido os consórcios exploradores, liderados pelas companhias petrolíferas Anadarko e Eni, a dinamizar os projetos para Palma e a negociar a redação do contrato de concessão.

Também na terça-feira foi aprovada entre o Governo e a Sociedade Mozambique MOF SA a instalação da infraestrutura de descarga de material (MOF – material offloading facility) através da qual o gás natural líquido será transferido para cargueiros – uma das peças nos projetos das petrolíferas.

Segundo o executivo, trata-se de um empreendimento a ser partilhado pelas duas concessionárias da Área 4 da Bacia do Rovuma.

Fonte: Lusa

Anúncios