Carvao_moatize

Mina de carvão em Moatize, Tete, Centro de Moçambique.

O valor da exportação de carvão mineral de Moçambique cresceu 200% entre o primeiro trimestre de 2016 e o mesmo período de 2017, passando o produto a representar um terço do valor das exportações, anunciou o banco central.

Os dados fazem parte do boletim estatístico mensal que o Banco Central de Moçambique voltou a distribuir a partir de hoje.

As exportações cresceram de um valor de 670 milhões de dólares no primeiro trimestre de 2016 para 977 milhões no primeiro trimestre deste ano (dados provisórios).

A exportação de carvão mineral valeu 108 milhões de dólares e passou a saldar-se em 326 milhões no mesmo período – passando a liderar a lista, representando 33,4% do valor de bens exportados, mais do dobro do peso anterior que era de 15,6%.

Diversos analistas tinham já antecipado à Lusa nos últimos meses que o carvão iria passar a ser o mais importante produto de exportação de Moçambique, devido à subida global de preços e de procura e devido ao aumento de capacidade de produção da mineira Vale.

O valor da exportação de alumínio também subiu no intervalo em análise, de 192 milhões de dólares para 249 milhões, mas o produto deixou de ter o maior peso na receita para passar para segundo lugar – com uma fatia de um quarto (25%) da repartição de valor.

Carvão e alumínio representaram 59% do valor das exportações de Moçambique no primeiro trimestre deste ano.

Ainda de acordo com o boletim do Banco de Moçambique, as Reservas Internacionais Líquidas do país (depósitos em moeda estrangeira dos bancos centrais e autoridades monetárias) em abril eram de 2,2 mil milhões de dólares, seguindo uma tendência de aumento desde fevereiro.

O valor permite cobrir cerca de quatro meses de importações do país, de acordo com um dos gráficos do boletim.

Fonte: Lusa

Anúncios