banco_bci_maputo_sede

O embaixador da França em Moçambique, Bruno Clerc, manifestou hoje a vontade do seu Governo de restabelecer a ligação aérea entre Maputo e Paris, logo que o movimento de passageiros entre os dois países torne a rota viável.

“Existiram linhas Paris-Maputo no passado. A história mostra que nada é estático e não é proibido sonhar com uma retomada desses voos, logo que o fluxo de passageiros entre os nossos dois países o justifique”, afirmou Clerc, durante a assinatura de um acordo sobre serviços aéreos entre Moçambique e França.

Segundo o diplomata, companhias aéreas que operam em territórios com fortes laços com França estão interessadas em estabelecer voos com Moçambique.

“Outras companhias francesas tais como a Air Austral, baseada na Ilha Reunião, estão desejosas de efetuar voos de Saint-Denis para Maputo. Espero que o acordo que hoje assinamos permita ajudar na realização desse projeto que poderia inscrever-se na vontade de desenvolver a conectividade aérea na região”, assinalou Bruno Clerc.

O diplomata justificou o interesse do seu país nas ligações áreas com Moçambique com o crescimento que o setor vem conhecendo nos últimos anos, realçando que o tráfego aéreo no país africano aumentou para mais do dobro no decurso dos últimos dez anos, contando hoje com perto de dois milhões de passageiros anualmente no país.

“A política de liberalização levada a cabo pelas autoridades moçambicanas está em parte na origem deste crescimento, com a abertura de novos destinos e de novas frequências”, acrescentou.

Em relação ao acordo hoje assinado em Maputo, o embaixador francês afirmou que o mesmo permitirá às aeronaves dos dois países sobrevoarem os territórios e efetuarem escalas técnicas nos dois países, incluindo a exploração de linhas regulares de passageiros de frete e de correio.

“As autorizações de exploração serão atribuídas em prazos reduzidos e os certificados de navegabilidade tais como as licenças de aptidão serão mutuamente reconhecidas pelas nossas respetivas autoridades”, acrescentou Bruno Clerc.

Por outro lado, prosseguiu, as companhias aéreas dos dois países poderão concluir acordos comerciais entre elas para aliarem-se neste setor muito competitivo.

Clerc enfatizou que o acordo reserva um lugar importante à cooperação em matéria de proteção e segurança aérea, em conformidade com as normas internacionais e europeias.

A ligação aérea Maputo-Paris foi inaugurada em 1982, mas cessou em 2001.

A transportadora nacional moçambicana, LAM, está na lista negra de companhias proibidas de voar para o espaço da UE, devido ao incumprimento de requisitos de segurança.

Fonte: Lusa

Anúncios