Neymar_barcelona_expulsao

Neymar leva o vermelho após falta; Luis Enrique criticou o árbitro Gil Manzano

Se depender do que já aconteceu com Cristiano Ronaldo, o adepto do Barcelona já pode lamentar o desfalque de Neymar no clássico contra o Real Madrid daqui ha duas semanas, válido pelo Campeonato Espanhol.

O brasileiro foi expulso na derrota do Barça diante do Málaga por 2 a 0, no último sábado, após ver dois cartões amarelos. O primeiro foi por tentar retardar cobrança de falta da equipa adversária; o segundo, por chegar atrasado e acertar Diego Llorente.

Ao deixar o campo, o atacante aplaudiu o quarto árbitro da partida, conforme o juiz Jesús Gil Manzano relatou na súmula da partida. E tal atitude se enquadra no artigo 117 do código disciplinar da Federação Espanhola de Futebol.

“Dirigir-se aos árbitros, dirigentes ou autoridades desportivas em termos ou atitudes de menosprezo ou de desconsideração sempre que a acção não constitua falta mais grave, se se sancionará com suspensão de dois a três jogos ou por tempo de até um mês”, afirma o artigo.

Em fevereiro de 2014, Cristiano Ronaldo foi suspenso por três jogos, sendo que dois foram por conta de uma atitude de menosprezo em direcção ao quarto árbitro. A outra partida de suspensão deu-se pela expulsão em si, que ocorreu após uma confusão com um jogador do Athletic Bilbao numa partida que acabou empatada por 1 a 1.

“Depois de ter sido expulso, o número 7 do Real Madrid, Cristiano Ronaldo dos Santos Aveiro, e enquanto se retirava do campo de jogo, bateu váruas vezes com a palma da mão na cara, dirigindo-se ao quarto árbitro”, dizia a súmula.

No ano seguinte, Carlo Ancelotti também ficou dois jogos sem poder comandar o Real Madrid no banco de reservas após aplausos irônicos ao final do empate por 2 a 2 com o Valencia.

Real Madrid e Barcelona enfrentam-se no Santiago Bernabéu daqui ha duas rodadas, no dia 23 de abril. Com um jogo a menos, o Real lidera o Campeonato Espanhol com uma vantagem de três pontos em relação ao Barça.

Anúncios