baia_mall_maputo

Em plena Avenida Marginal, com vista para a Baía de Maputo, na capital de Moçambique, está a nascer um novo centro comercial e um hotel, num investimento combinado de 96 milhões de dólares anunciado hoje pela Actis, um fundo de private equity internacional focado em mercados emergentes.

O Baía Mall terá uma área total de 30 mil metros quadrados, mais de 100 lojas, restaurantes, área de serviços e mais de 1.000 lugares de estacionamento, num projeto que criará mais de 2.500 postos de trabalho. O novo centro comercial moçambicano, que inclui também uma unidade hoteleira, já está em construção e a inauguração está prevista para o final de 2017.

“O Baía Mall representa um projeto de grande escala e nível internacional que vem dar resposta às necessidades do mercado moçambicano. Há muito tempo que olhamos para Moçambique como um mercado estratégico à procura de boas oportunidades de investimento, uma vez que, acreditamos no potencial de crescimento económico do país. Contamos muito brevemente anunciar novos investimentos em Moçambique”, anunciou Louis Deppe, Partner da Actis East Africa Real Estate.

Apesar deste ser o primeiro investimento da Actis em Moçambique, o fundo de private equity internacional conta com um portfolio de investimentos com mais de 200 projetos em 44 países de todo o mundo, num total de nove mil milhões de dólares de capital investido. Desde 2004 a Actis investiu no desenvolvimento de 11 projetos imobiliários em sete países da África subsariana.

O Baía Mall é um projeto promovido pela Automóvel & Touring Clube de Moçambique, com a Actis e a RPP Developments (empresa de referência em desenvolvimento imobiliário).

Os investimentos da Actis em Moçambique estão a ser desenvolvidos em parceria estratégia com a Source Capital, uma empresa de private equity que opera em Moçambique.

O centro comercial Baía Mall contará com marcas de retalho de referência no mercado local, tais como Super Spar, Game e Woolworths. Estão também já em curso negociações com grandes marcas nacionais e internacionais que pretendem entrar no mercado moçambicano. Neste momento, mais de 50% dos espaços comerciais já estão alugados. No seu portfólio a Actis conta com projetos de desenvolvimento de vários espaços comerciais em África como por exemplo o The Junction Shopping Mall em Nairobi.

Em 2006, o fundo investiu na construção do primeiro centro comercial da Nigéria o The Palms que foi precedido, em 2008, pela construção do mais moderno espaço comercial e de lazer do Gana o Accra Mall. Já em 2012 a Actis investiu na construção do maior espaço comercial do Quénia o Garden City.

Com as vendas de bens de luxo em África projetadas para chegar aos 5,2 mil milhões de euros em 2019, de acordo com dados da Euromonitor International, são vários os projetos de grandes superfícies a nascer no continente.

Um outro exemplo é o luxuoso centro comercial Diamond Walk, em Joanesburgo, na África do Sul, inaugurado em 2015, que contou com um investimento imobiliário de 185 milhões de rands.

Com 330 lojas, este outlet especializado em bens de luxo define-se como “um ícone do luxo urbano e da sofisticação em África”.

Segundo a consultora New World, o número de bilionários na região deverá duplicar até 2030, com a maioria a vir de Nigéria, Angola, Gana, Moçambique e Quénia.

Fonte: Dinheiro Vivo

Anúncios