Donald_trump_micro

Donald Trump, Presidente dos EUA(Chris Keane/Reuters)

Donald Trump mandou construir um muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México, medida necessária, segundo o novo presidente americano, para controlar a imigração ilegal e salvar empregos e bolsos de contribuintes americanos.

Para os americanos que elegeram Trump é o cumprimento de uma promessa, a primeira e a mais importante promessa que o levou a conquistar o Partido Republicano e a Casa Branca. Nos comícios de Trump, os gritos de “construa o muro” eram os mais fortes.

É como se todos os problemas do país fossem ser resolvidos por esse muro. Simboliza a fortaleza América, a política de “a América primeiro”, que Trump consagrou no discurso de posse.

E o facto de que logo na primeira semana Trump cumpriu a promessa explica, em parte, o clima de optimismo no país que levou o índice Dow Jones a ultrapassar a marca histórica de 20 mil pontos.

O decreto de Trump, que ordena a construção do muro foi acompanhado de outro que ataca de frente os defensores dos imigrantes. Nos Estados Unidos, mais de 400 cidades, como Nova Iorque, Los Angeles e Chicago, se declararam cidades santuário, onde os imigrantes ilegais podem trabalhar sem o temor de serem deportados pelas autoridades de imigração.

A mão de obra desses imigrantes é importante para as economias locais, daí o desafio ao governo federal. Para tentar acabar com isso, Trump ordenou que sejam cortadas as verbas federais que ajudam muitas dessas cidades a fechar as contas. Vai ser uma batalha e tanto.

Anúncios