adama-barrow-gambia

Adama Barrow conversa com a imprensa na sua tomada de posse, realizada na embaixada de Gambia em Senegal. – HANDOUT / AFP

Tropas do Senegal entraram na Gâmbia para colocar Adama Barrow no cargo de presidente do país. Barrow, o vencedor da contestada eleição na Gambia, foi empossado nesta quinta-feira como presidente, segundo informações da rede de televisão BBC. Porém, a cerimônia aconteceu na embaixada do seu país no vizinho Senegal, onde Barrow se encontra.

O actual presidente, Yahya Jammeh, recusou-se a aceitar os resultados, alegando fraude eleitoral. Países vizinhos, como o Senegal e a Nigéria, já se posicionaram a favor de Barrow, e ameaçaram intervir com as suas forças armadas para retirar o actual presidente do poder.

O Conselho de Segurança da ONU aceitou o pedido de entrada no país feito pelo Senegal e o bloco regional Ecowas (Comunidade económica dos estados do Oeste Africano). Na sua inauguração, o presidente eleito havia pedido calma aos soldados de Gâmbia, pedindo que não intervissem na questão.

Jammeh, o actual presidente em exercício, teve o seu mandato estendido em 90 dias pelo parlamento da Gâmbia e declarou estado de emergência no país. As autoridades eleitorais admitem erros no processo, mas argumentam que eles não mudariam o resultado das urnas. Jammeh subiu ao poder há 22 anos num golpe de estado não violento.

Barrow, que nunca ocupou um cargo público, está no Senegal desde que foi convidado para uma reunião de líderes africanos que apoiaram a sua eleição, no último fim de semana. Ele não voltou desde então, nem mesmo para o enterro do seu filho de oito anos, que morreu após ser atacado por um cão. A sua permanência é por questões de seguranças, e seu porta-voz disse que o presidente eleito “acredita numa solução pacífica, mas aceita que uma resposta armada pode ser necessária”.

Anúncios