melania_donald_trump_washington_19_janeiro_2017

Trump e sua mulher Melania chegam a Washington na véspera da posse – JONATHAN ERNST / REUTERS

No seu juramento como 45º presidente dos Estados Unidos nesta sexta-feira, Donald Trump fará um discurso “muito pessoal” que terá um tom “filosófico”, revelou o seu porta-voz, Sean Spicer, nesta quinta.

“Será uma apresentação muito pessoal e sincera da sua visão do país” — disse Spicer, na véspera da posse de Trump. — “Explicará o que significa ser americano, os desafios que enfrentamos” —, enumerou, acrescentando que evocará o tema da educação em particular.

“Não será um programa detalhado, mas um documento filosófico, da sua visão do futuro do país, do papel do governo e do papel dos cidadãos”, explicou Spicer.

Dando continuidade a uma das tradições do protocolo de posse, Donald Trump pronunciará o seu discurso diante da fachada oeste do Capitólio, depois de prestar juramento sobre a bíblia.

Trump chega a Washington na véspera da posse

Na véspera de prestar juramento como o 45º presidente dos Estados Unidos, o avião de Donald Trump chegou a Washington nesta quinta-feira, por volta das 12h no horário local (20h, horário de Maputo). O presidente eleito ficará nas capital pelo menos durante os próximos quatro anos, determinado a transformar a política americana e deixar o legado de Barack Obama para trás. Durante este noite, ele se hospedará na Blair House, destinada a receber convidados de Estado, próxima à Casa Branca.

“Esta viagem começa e vou trabalhar e lutar muito para que esta seja uma grande viagem também para os americanos. Não tenho dúvidas de que juntos devolveremos a grandeza aos Estados Unidos”, publicou o presidente eleito no Twitter na manhã desta quinta-feira, antes de partir em direcção à capital.

O bilionário republicano, que se vangloria de ter 20 milhões de seguidores no Twitter, deixou a Trump Tower, em Nova Iorque, para viajar a Washington, onde vai pernoitar, e se mudará na sexta-feira para a Casa Branca.

O empresário deixou de lado o seu Boeing pessoal no aeroporto La Guardia, em Nova Iorque, e passará a se deslocar a partir de então numa aeronave da frota presidencial, o Air Force One.

Na capital americana, Trump e o seu vice, Mike Pence, darão início ainda nesta quinta à série de actos formais que terminarão com a posse, que será realizada na sexta-feira na escadaria do Capitólio.

Às 15h30 local (20h30 de Maputo), Trump depositará flores no Cemitério Nacional de Arlington, onde estão sepultados os veteranos americanos mortos em combate, e depois discursará do outro lado do rio Potomac, no Lincoln Memorial, epicentro da cerimônia de posse, que contará com shows de música country e fogos de artifício.

A cerimônia de juramento, ao ar livre, no Capitólio, começará ao meio-dia (20h de Maputo) de sexta-feira, segundo data e hora estabelecidas na Constituição, e será transmitida pela TV de todo o planeta, num dia com previsão de chuvas.

Centenas de milhares de cidadãos, entre partidários e opositores ao novo presidente começaram a chegar à capital para participar neste ritual do qual vão participar dirigentes políticos de todo o país, entre eles a adversária de Trump na disputa à Casa Branca, a democrata Hillary Clinton e três ex-presidentes.

“Trump tem pressa real de chegar à Casa Branca e começar a trabalhar para os americanos”, disse nesta quarta-feira o seu vice-presidente, o conservador Mike Pence, de 57 anos.

“Ele está comprometido não só com o Dia 1, mas o Dia 2 e o Dia 3 para implementar uma agenda de mudança real, e acho que verão isso nos dias e semanas a vir”, afirmou o porta-voz de Trump, Sean Spicer.

Os pontos principais da agenda de Trump, que nunca ocupou um cargo público antes, envolvem promessas populistas que o levaram à vitória: contenção de imigrantes e criação de emprego, principalmente no sector industrial, disse Spicer.

PREOCUPAÇÕES COM SEGURANÇA

Cerca de 28 mil funcionários de Segurança — incluindo membros do Serviço Secreto, da Guarda Nacional, do FBI e da polícia regional — serão mobilizados para os eventos, segundo Jeh Johnson, secretário de Segurança Interna.

Alguns dos eventos serão muito expostos, especialmente a tomada de posse, que contará com a presença de ex-presidentes e altos funcionários do governo e do Congresso, na frente oeste do edifício do Capitólio.

As autoridades serão protegidas por um vidro à prova de balas, e os telhados próximos serão patrulhados por franco-atiradores. O FBI terá detectores de substâncias químicas e biológicas e de radiação em toda a área.

Os serviços de segurança esperam entre 700 mil e 900 mil pessoas presentes, incluindo manifestantes de ao menos 99 grupos que organizam protestos, disse Johnson.

Uma área de sete quilômetros quadrados no centro de Washington será fechada para veículos, e aqueles que entrem a pé serão revistados.

Anúncios