A Polícia moçambicana disse esta terça-feira ter apreendido quatro armas na residência do casal Zófimo Muiuane e Valentina Guebuza, filha do ex-Presidente Armando Guebuza que foi assassinada a tiro na semana passada.

Falando durante a conferência de imprensa de balanço da atividade policial, o porta-voz do Comando Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM), Inácio Dina, disse que as autoridades apreenderam uma pistola, duas carabinas e uma ‘shotgun’ na residência do casal.

“As diligências para aclarar a legalidade e a proveniência destas armas continuam”, disse Inácio Dina, acrescentando que a arma usada no homicídio foi uma pistola.

Valentina Guebuza, que deixa uma filha de um ano e seis meses, foi atingida com quatro tiros em casa na noite de quarta-feira, em Maputo, e, segundo as autoridades, o seu marido é o principal suspeito, que foi detido no próprio dia.

“O processo está a correr no Ministério Público e a detenção dele já foi legalizada”, declarou o porta-voz da PRM.

Valentina da Luz Guebuza, 36 anos, era uma das mais destacadas empresárias do país.

Em dezembro de 2013, a revista Forbes colocou-a entre as vinte jovens africanas mais poderosas de África, à frente da ‘holding’ familiar Focus 21 Management & Development, com interesses em vários setores, como a banca, telecomunicações, pescas, transportes, mineração e imobiliário.

A empresária moçambicana casou-se a 26 de julho de 2014 com Zófimo Muiuane, chefe do departamento de marketing da operadora de telecomunicações Mcel, numa cerimónia religiosa na Igreja Presbiteriana de Chamanculo, nos arredores de Maputo, perante centenas de convidados.

O velório decorreu no sábado no mesmo local onde casou há dois anos, e contou com a participação do atual chefe de Estado, Filipe Nyusi, do antigo Presidente moçambicano Joaquim Chissano, titulares dos órgãos de soberania, membros e simpatizantes da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder e no qual Valentina Guebuza pertencia ao comité central.

Fonte: Lusa

Anúncios