Homens armados da Renamo, o maior partido da oposição e Moçambique, atacaram na manhã de quarta-feira um comboio pertencente à companhia mineira Gindal na região de Lavo, posto administrativo de Inhamitanga, na província central de Sofala.

O ataque ocorreu cerca das 06h00 horas quando a locomotiva ao longo do trajecto Moatize-Beira, carregado de carvão, tendo como destino o Porto da Beira.

O jornal “Diário de Moçambique” revela que os homens armados da Renamo direccionaram os seus disparos contra a locomotiva, tendo atingido o maquinista nas costelas, no braço e nas nádegas.

Uma fonte anonima contactada por este jornal em Inhaminga, confirmou o ataque e atribuiu o acto aos homens armados da Renamo. Revelou que o maquinista ferido foi evacuado por um helicóptero para uma clínica privada na Beira.

A fonte precisou que as Forças de Defesa e Segurança foram de imediato mobilizadas para o local e actualmente decorrem operações para a captura dos responsáveis pelo incidente, com vista a sua responsabilização.

Contactado o comando provincial da PRM em Sofala, na pessoa do seu porta-voz, Daniel Macuácua, não confirmou e nem desmentiu o sucedido, tendo adiantado que iria averiguar e em momento oportuno haveria de se pronunciar.

O Diário de Moçambique também contactou telefonicamente o administrador de Cheringoma, José Domingos Tomás, confirmou o ataque ao comboio da mineradora da Gindal, sem avançar detalhes por estar ausente do distrito.

“Não tenho os detalhes, porque estou ausente do distrito, mas confirmo que houve o ataque ao comboio da Gindal”, disse.

Refira-se que a Vale Moçambique tinha as operações de transporte do carvão de Moatize pela Linha de Sena desde o dia 8 de Junho passado, na sequência de ataques a comboios daquela mineradora brasileira.

Anúncios