A administradora do Banco de Moçambique Joana Matsombe defendeu sexta-feira em Maputo que os bancos a operar no país devem aumentar os capitais próprios a fim de poderem participar mais activamente no desenvolvimento dos recursos naturais, nomeadamente do gás natural, escreveu a imprensa moçambicana.

Joana Matsombe, que falava numa conferência internacional sobre gás natural concluída sexta-feira na capital moçambicana, salientou que até à data as instituições financeiras moçambicanas participaram com apenas cerca de 16% dos investimentos associados à pesquisa de gás natural, sendo que mais de 80% tiveram origem em investimento directo estrangeiro.

“A banca nacional tem de se capitalizar para ter uma maior quota no financiamento dos investimentos nos recursos energéticos, envolvimento esse que seria uma ajuda na afirmação do sistema financeiro nacional e no alargamento dos seus retornos”, declarou Matsombe.

A administradora do banco central reconheceu, no entanto, que a pequena dimensão do sistema financeiro moçambicano implica que tenha apenas uma participação marginal nos projectos associados ao desenvolvimento e exploração de recursos naturais.

Joana Matsombe acrescentou que os grupos internacionais que estão a efectuar a prospecção de gás natural têm estado a recorrer ao financiamento bancário externo, a fim de conseguirem os muitos milhares de milhões de dólares necessários para desenvolver os projectos em curso.

Fonte: Macauhub

Anúncios