image

Vista aérea da cidade de Nampula/Foto CMCNampula

A missão do Fundo Monetário Internacional liderada por Michel Lazare encontra-se desde quinta-feira em Maputo, onde permanecerá até dia ao próximo dia 12, para negociações com o governo de Moçambique para a elaboração de um novo programa de ajuda.

As conversações que a presente missão do FMI irá manter com as autoridades de Moçambique deverão continuar no primeiro trimestre de 2017, altura em que se prevê venha a estar pronto o relatório que a empresa Kroll irá elaborar a propósito dos empréstimos contraídos por empresas públicas com o aval do Estado.

Em Setembro de 2016 as autoridades de Moçambique solicitaram ao FMI que retomasse o mais depressa possível as negociações relativas a um novo programa de ajuda, tendo o Fundo, em comunicado recente, informado que as condições exigidas foram respeitadas “abrindo espaço para a próxima missão.”

O Fundo Monetário Internacional suspendeu o programa de ajuda a Moçambique, no que foi secundado pelos restantes parceiros da chamada ajuda programática, depois de ter sido conhecido que o governo tinha, à revelia da legislação em vigor, concedido avais do Estado a empréstimos de centenas de milhões de dólares contraídos por empresas públicas.

Uma das condições impostas pelo FMI para o reinício das conversações foi a realização de uma auditoria independente às empresas públicas Moçambicana de Atum (Ematum), Proindicus e Moçambique Asset Management (MAM), condição que foi respeitada com o anúncio no início de Novembro corrente da contratação da empresa Kroll Inc.

Fonte: Macauhub

Anúncios