Renamo_guerrilha_mata

A Polícia da República de Moçambique (PRM), resgatou, semana finda, uma menor de 14 anos de idade que havia sido capturada pela Renamo na região de Chiuala, distrito de Bàrué, província de Manica, centro de Moçambique.

A menor estava a ser usada como escrava sexual numa das bases da Renamo na região de Chiuala.

A porta-voz da PRM, em Manica, Elsídia Filipe, que revelou o facto a jornalistas esta segunda-feira, explicou que a menor foi sequestrada, há dias, numa das regiões de Chiuala, um dos bastiões da Renamo e foi levada a uma base militar onde havia sido entregue a um chefe que a usava como sendo sua esposa.

“A menor foi levada e entregue a um comandante. Ela servia de escrava sexual. O comandante fazia dela sua esposa. O comandante é um homem com mais de 50 anos de idade com que ia a cama”, disse Elsídia Filipe.

Segundo a porta-voz, apercebendo-se desta situação, as Forças de Defesa e Segurança (FDS) apertaram o cerco contra aqueles homens naquela região, facto que fez com que os guerrilheiros libertassem a menor. A criança já foi devolvida ao convívio familiar.

Disse que na operação também foram recuperados vários bens, incluindo gado bovino que estava com os homens armados da Renamo.

“Conseguimos também muitos bens que pensamos que haviam sido roubados à população. Recuperamos algumas cabeças de gado bovino. Agora estamos a trabalhar para ver se entregamos aos legítimos proprietários, explicou a fonte.

A Renamo é o maior partido da oposição em Moçambique e, desde finais do ano passado, tem estado a desencadear ataques armados contra viaturas civis e militares, semeado um clima de insegurança em algumas regiões do centro do país.

Com estas acções, a Renamo reivindica a governação de seis, das onze províncias onde considera ter conseguido maior número de votos nas últimas eleições de 2014.

A zona de Chiuala tem sido palco, nos últimos tempos, das incursões dos homens armados do partido liderado por Afonso Dlhakama, o que já provocou a deslocação de centenas de famílias para zonas seguras. Muitas famílias abandonaram as suas residências, campos de produção e criação para outras zonas, o que ditou o encerramento de escolas e hospitais.

Para além de Chiuala, a Renamo tem estado a levar a cabo as suas incursões em algumas zonas dos distritos de Manica, Mossurize (sul) e Tambara, a norte da província de Manica.

Fonte: AIM

Anúncios