As empresas WSP Global do Canadá e Water Waste and Environment Consultants (WWEC), do Malaui, iniciaram já os trabalhos para a realização do estudo de avaliação do impacto ambiental e social do projecto de interligação eléctrica entre o Malawi e Moçambique, noticiou a imprensa moçambicana.

O matutino Notícias, de Maputo, escreveu que as empresas Electricidade de Moçambique (EDM) e Electricity Supply Corporation of Malawi Limited (ESCOM) contrataram a WSP e a WWEC para realizar aquele estudo e preparar a política de realojamento de populações afectadas até Junho de 2017.

O especialista em desenvolvimento da WWEC, Mabvuto Phula, disse que os consultores já se reuniram com autoridades do Ministério de Terras, Habitação e Desenvolvimento Urbano, Ministério de Recursos Naturais, Departamento de Assuntos Ambientais, Mineração e Energia e a Comissão de Direitos Humanos do Malaui.

O projecto de interligação entre Moçambique e Malawi envolve a construção de uma linha de transmissão de energia eléctrica de 400 KV com uma extensão de 210 quilómetros, desde a subestação de Matambo, em Tete, até Phombeya, em Balaka.

A materializar-se em 2020, a interligação é encarada como solução para os actuais desafios do Malawi em relação ao abastecimento em energia eléctrica, através do fomento e desenvolvimento de novas fontes e abertura do mercado a potenciais investidores.

A produção actual de energia eléctrica no Malawi é de 351 Megawatts, quantidade que permite abastecer apenas cerca de 10% da população.

Fonte: Macauhub

Anúncios