image

Uma postagem racista sobre a primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, gerou controvérsias numa pequena cidade da Virgínia Ocidental, nos Estados Unidos. Após a eleição de Donald Trump, Pamela Taylor, representante de uma instituição sem fins lucrativos no condado de Clay, publicou no seu perfil no Facebook: “Será revigorante ter uma primeira-dama elegante, bonita e digna na Casa Branca. Estou cansada de ver uma macaca de salto alto”.

A postagem infeliz ainda recebeu um comentário de Beverly Whaling, prefeita da cidade de Clay. “Apenas fez meu dia, Pam”, escreveu. Com 491 habitantes, a cidade não tem moradores negros, de acordo com censo de 2010. Em todo o condado de Clay, que conta com 9.000 habitantes, mais de 98% são brancos.

De acordo com emissora local WSAZ, Taylor apagou a postagem assim que começou a receber críticas, mas não escapou de ser afastada do seu emprego na Corporação de Desenvolvimento do Condado de Clay, na segunda-feira. Em entrevista à rede, Taylor disse compreender que o post poderia ser “interpretado como racista, mas de forma alguma tinha essa intenção”. Segundo ela, o comentário foi uma forma de expressar uma opinião pessoal sobre “atração física”, não sobre “a cor da pele” de Michelle.

Já a prefeita de Clay alegou que o seu comentário na postagem da amiga foi mal interpretado e se desculpou pelo caso ter “saído de controle”. “Eu estava me referindo que o que fez meu dia foi a mudança na Casa Branca!”, disse Whaling ao jornal Washington Post. “Aqueles que me conhecem sabem que não sou racista!”. Segundo a TV WSAZ, a prefeita continua a ocupar o seu cargo público.

Anúncios