image

Michelle Obama, vestindo Carolina Herrera na sua última capa como primeira-dama. (Annie Leibovitz Vogue)

“A garota-propaganda da América”. Assim, efusivamente, a edição norte-americana da revista Vogue despede-se da primeira-dama do país, Michelle Obama, na reportagem de capa da edição de dezembro. Com uma atitude mais relaxada do que de costume, a entrevista representa um epílogo de oito anos de trabalho nos quais ela conseguiu ganhar o respeito e o carinho do público internacional, às vezes superando o próprio marido. Fotografada por Annie Leibovitz nos jardins da Casa Branca, Michelle aparece na capa com um vestido de Carolina Herrera e maquiagem natural, posando como uma estrela de Hollywood. Não é para menos, já que em janeiro, quando abandonar o seu cargo, esta advogada de Chicago ter-se-a tornado uma das grandes protagonistas da vida pública norte-americana. Um exemplo de conduta que se traduz num movimento nas redes sociais que pede que ela seja a candidata democrata nas eleições de 2020.

image

Michelle Obama em um vestido Atelier Versace para a reportagem. (ANNIE LEIBOVITZ VOGUE)

“Eu podia ter passado oito anos fazendo qualquer coisa”, afirma a primeira-dama na entrevista. “Poderia ter me dedicado a flores. Poderia ter me dedicado à decoração. Poderia ter me dedicado ao entretenimento. Porque qualquer primeira-dama tem, por direito, a possibilidade de definir o seu papel. Não há uma autoridade legislativa; você não foi eleita. E essa liberdade é um presente maravilhoso”. O papel de Michelle Obama, que em várias ocasiões declarou o seu desapego pela política, foi muito mais do que o de mera consorte. Durante esse período, ela protagonizou campanhas a favor da vida saudável e do exercício físico, e da escolarização de meninas, com a iniciativa Let Girls Learn. Além disso, as suas brilhantes aparições na mídia marcam um antes e um depois difícil de superar. Graças ao seu Carpool Karaoke com James Corden, conseguiu tirar audiência da convenção republicana da qual sairia nomeado o agora presidente-eleito, Donald Trump.

Esta é a terceira vez que Michelle Obama posa para a revista dirigida por Anna Wintour. A primeira delas foi em 2009, apenas alguns meses depois de chegar ao cargo. Na segunda, em 2013, também foi retratada por Annie Leibovitz, talvez a fotógrafa mais prestigiada e solicitada do país. Veremos se a próxima primeira-dama, a modelo eslovena Melania Trump, consegue obter a mesma influência da sua antecessora entre os cidadãos norte-americanos e entre os editores da revista de moda. Deverá ser algo difícil para ela, porque depois da passagem de Michelle Obama pelo posto, o nível está mais alto do que nunca.

Anúncios