image

Philippe Coutinho, do Brasil, comemora golo durante a partida contra a Argentina.

“O campeão voltou!” Quem imaginaria que o tradicional bordão seria usado no primeiro reencontro entre a seleção brasileira e o palco da maior tragédia do futebol nacional, os 7 a 1 de 8 de julho de 2014. Os mais de 53 000 espectadores presentes ao Mineirão na noite desta quinta-feira puderam ir à farra com uma atuação irreparável do Brasil. O fantasma do Mineirazo foi exorcizado com os 3 a 0 sobre a Argentina. A noite de gala contou com golos de Gabriel Jesus, Neymar e Paulinho, gritos de olé antes dos 20 minutos do segundo tempo e ovações intermináveis para o camisa 10 e para o técnico Tite.

As vaias e apreensão que a torcida brasileira viveu na derrota para a Alemanha, na semifinal da Taça do Mundo, no mesmo estádio, foram substituídas por um clima de festa e confiança desde horas antes da partida. Graças ao bom futebol apresentado desde que Tite assumiu a seleção, a relação entre o adepto e a equipa mudou da água para o vinho. E Neymar foi o retrato desta simbiose.

À vontade, o camisa 10 roubou todos os holofotes. Aqueles que esperavam assistir um duelo particular entre ele e Lionel Messi, acabaram voltando as suas atenções apenas para Neymar. Se o argentino foi surpreendentemente muito aplaudido pelos quase 60 mil adeptos brasileiros no Mineirão – após vaias inclusive ao hino argentino –, quem mereceu todas as celebrações foi o brasileiro.

O duelo entre os dois craques do Barcelona era tão relevante que mais de 200 veículos de comunicação de cinco continentes diferentes estiveram em Belo Horizonte para cobrir a partida. Pela importância dos dois no contexto do futebol mundial, a partida foi transmitida ao vivo para toda a Espanha, apesar de começar à 0h45 de sexta-feira no horário do país europeu.

O “Capita” também não foi esquecido. Carlos Alberto Torres foi homenageado por Daniel Alves, que usou a camisa 4 e vestiu a braçadeira de capitão no jogo, e o árbitro deu um minuto de silêncio. Os aplausos e gritos com o apelido que consagrou o ex-jogador mantiveram o momento barulhento.

Com o resultado, a equipa de Tite manteve-se na liderança das Eliminatórias, agora com 24 pontos. A Argentina está em situação complicada e continua fora da zona de classificação para a Taça do Mundo com 16 pontos – um atrás do Chile, quinto colocado.

Anúncios