Governador de Nova Iorque admite que não haverá relação com Estado Islâmico ou outro grupo internacional.

image

REUTERS/RASHID UMAR ABBASI

A bomba que explodiu em Nova Iorque no sábado, ferindo 29 pessoas, foi um acto de terrorismo sem qualquer aparente ligação internacional, disse hoje Andrew Cuomo, governador do estado norte-americano.

“Uma bomba a explodir em Nova Iorque é, obviamente, um ato de terrorismo, mas não está relacionado com terrorismo internacional. Ou seja, não descobrimos qualquer relação entre a explosão e o grupo Estado Islâmico (EI)”, disse Andrew Cuomo, numa alusão ao grupo extremista com bases no Iraque e na Síria.

“Mas a explosão de uma bomba é, grosso modo, uma atividade terrorista. É assim que vamos considera-la e processá-la”, acrescentou.

Uma segunda bomba que não chegou a detonar foi encontrada nas proximidades, disse fonte policial.

“Iremos descobrir quem quer que tenha colocado os engenhos e levá-los-emos à justiça”, disse Andrew Cuomo, depois de mostrar o local onde ocorreu a explosão.

O engenho explodiu por volta das 08:30 locais de sábado em Chelsea, um dos distritos mais elegantes de Manhattan.

O governador disse ainda que é “cedo” para falar sobre a investigação uma vez que não há indícios de ligações a terrorismo internacional.

explosão ocorreu nas vésperas da Assembleia Geral das Nações Unidas, pelo que foram mobilizados mais 1.000 polícias “por precaução”, sublinhou o governador.

Entretanto, o presidente da câmara daquela cidade norte-americana, Bill de Blasio, informou que as 29 pessoas que ficaram feridas na sequência da explosão já tiveram alta do hospital.

Num outro ataque, também no sábado à noite, pelo menos oito pessoas ficaram feridas num centro comercial do estado norte-americano do Minnesota. Esse incidente já foi reivindicado pelo Estado Islâmico.

Anúncios