Renamo_guerrilha_mata

As Forças de Defesa e Segurança (FDS) desencadearam uma ofensiva na madrugada hoje que se saldou na invasão e ocupação do quartel-general da Renamo, maior partido da oposição, no distrito de Morrumbala, na província central da Zambézia.

Segundo a STV, estação de televisão privada, durante as confrontações registou-se a morte de pelo menos oito pessoas, número ainda não confirmado pela Polícia moçambicana (PRM) a nível daquela província.

“As Forças de Defesa e Segurança tomaram de assalto o quarte- general da Renamo no distrito de Morrumbala. Neste momento, uma equipa está no terreno para aferir os danos causados”, disse Jacinto Félix, chefe da secção de imprensa da Polícia da província, acrescentando que a operação durou cerca de duas horas.

Contudo, citado pela Rádio Moçambique (RM), emissora pública, Félix disse que não há ainda o registo de feridos ou mortes, tendo explicado que os homens armados da Renamo fugiram em debandada quando os agentes das forças de defesa e segurança se fizeram ao local.

O ataque acontece numa altura em que falta apenas um dia para as negociações entre o Governo e a Renamo retomarem, depois do interregno no mês passado, pela segunda vez.

As delegações do Governo e da Renamo, em sede do diálogo político, ainda não alcançaram consensos visando restaurar a paz efectiva em Moçambique.

Antes de regressarem aos seus países de origem, os mediadores internacionais propuseram a criação de um “corredor” desmilitarizado, para permitir que possam manter um encontro com Afonso Dhlakama, o líder da Renamo, maior partido da oposição. Para o efeito, o Governo Moçambicano deverá indicar países vizinhos para supervisionar a sua eficácia.

Na vasta gama de assuntos na mesa do diálogo, as partes deverão ainda discutir assuntos relacionados com a despartidarização do Aparelho do Estado, bem como a desmilitarização dos homens armados da Renamo.

Fonte: AIM

Advertisements