Apple_iphone_keynote

ANDREW BURTON/AFP

O tempo para rumores e vazamentos está a acabar: no dia 7 de setembro a Apple finalmente apresentará os produtos para o Natal e grande parte de 2017; é o seu famoso keynote, cozinhado a fogo lento no meio de vazamentos e rumores que sempre conseguem disparar o nível de atenção. Em 2016 o evento conta também, como se fosse pouco, com uma atracção extra: o esperado iPhone 7 pode ser um modelo de transição à espera do décimo aniversário do celular, que acontece no ano que vem.

Uma das principais críticas recebidas pela Apple por parte dos seus seguidores é justamente a ausência de grandes mudanças estéticas no equipamento e a limitação das suas novas funções, sempre considerando como certos os rumores que já conhecemos. Nesse explosivo caldo de cultura, a Samsung teria muito a ganhar com o Galaxy Note 7, mas parece que os coreanos não conseguem por sua vez que tudo saia da maneira apropriada, e agora deram um tiro no pé, precisando retirar o produto de circulação porque a bateria queimava.

O último a fazer as suas apostas foi o analista mais reconhecido nessa bola de cristal anual na qual se transformaram os dias anteriores à apresentação da Apple. Ming-chi Kuo, analista da KGI Securites, não costuma falhar. O que se sabe do iPhone 7 até o momento?

Formato

Em relação ao aspecto estético, mudanças, somente os necessários. Essa é uma máxima que a Apple manteve fielmente desde o lançamento do primeiro modelo e, como as vendas são boas, para que mudar? Pelos diversos vazamentos sabemos que quase não existirão diferenças importantes no formato do novo modelo, e era necessária uma mudança se nos atemos à disciplina da denominação de modelos. A empresa de Cupertino não quer espantar a sua legião de usuários com mudanças radicais, mas se permitirá algumas licenças: o iPhone 7 deve vir numa variada gama de cores. Algo que pode parecer pouco num mercado tão competitivo, mas falamos do iPhone e o seu alcance midiático. A cor que mais causa impressão aos fãs em casa é o piano black, uma refinada tonalidade negra que, ao que tudo indica, deverá ser uma das principais escolhas dos compradores.

Sem ‘jack’ de fones de ouvido

A Apple é famosa por mudar os padrões e não tem medo na hora de levar toda a indústria com ela. Nesse sentido, uma das principais novidades esperadas do novo modelo é a eliminação do conector para os fones de ouvido. Qual é o objectivo? O fabricante mata dois coelhos com uma cajadada: liberta o valioso espaço ocupado pelo jack no cada vez mais compacto formato (essa redução pode ser aproveitada para tornar o celular mais fino e, ao mesmo tempo, melhorar o sensor dos dedos) e, por outro lado, oferece ao usuário uma experiência melhor ao eliminar os cabos dos fones de ouvido (espera-se que o iPhone 7 venha com os chamados airpods, fones de ouvido sem fio). O uso de fones de ouvido sem fio no mercado de celulares é novo? Não, mas a Apple seria a primeira a oferecer essa possibilidade como padrão no seu aparelho, apesar do usuário continuar com a opção de utilizar o cabo graças ao conector multifuncional Lightning.

Resistente à água (mas não submergível)

É sem dúvida uma das maiores demandas dos usuários. Por que não fazer o iPhone resistente à água como alguns modelos dos seus rivais? Parece que finalmente o aparelho chegará ao mercado com a certificação IPX7, que é preciso detalhar com cautela: resiste à água, mas não podemos mergulhar com ele. É a mesma certificação do Apple Watch: um mergulho rápido (resiste até um metro de imersão pelo tempo máximo de 30 minutos), o suor e as gotas de chuva não serão um problema, mas não poderemos mergulhar e nadar com ele.

Uma cámara que irá dar o que falar

A Apple sabe o valor do peso da cámara de fotos num smartphone e por isso essa função sempre costuma ser protagonista em cada novo modelo. O fabricante há tempos fugiu da guerra dos megapixels, demonstrando que não existe uma correlação directa entre mais capacidade e qualidade das fotos. Nesse sentido, as melhoras chegam sempre por outros meios e no iPhone 7 essa versão viria com uma melhora importante: a cámara dual. Pelos diversos vazamentos sabemos que o aparelho terá uma lente dupla e os analistas da KGI especulam sobre as suas possíveis aplicações: espera-se que essa cámara permita ao usuário trabalhar com o zoom num conceito muito semelhante ao apresentado pela cámara Lytro. Os analistas dizem que essa cámara estaria disponível somente no iPhone 7 Plus e que viria também com estabilização óptica, mas é preciso ver exactamente quais os resultados oferecidos pela Apple com a cámara, e o saberemos na keynote.

Anúncios