O grupo Coal India Ltd (CIL) devolveu as licenças de exploração de carvão em Moçambique obtidas pela subsidiária Coal India Africana Limitada (CIAL), de acordo com o Relatório e Contas, citado pelo jornal Business Standard.

A devolução das licenças ao Instituto Nacional de Minas, do Ministério dos Recursos Minerais e Energia, ficou a dever-se, de acordo com o relatório, ao facto de a exploração mineira nas zonas abrangidas pelas licenças “ser tecnicamente inviável.”

“Um estudo de viabilidade da exploração mineira concluiu que tal não é possível nas zonas abrangidas pelas concessões obtidas pela CIAL, pelo que a administração da CIL decidiu devolver as licenças ao governo de Moçambique”, pode ler-se no documento.

A subsidiária do grupo indiano tinha obtido duas licenças para a exploração de carvão com uma área conjunta de 224 quilómetros quadrados, que tinham um período de validade compreendido entre Agosto de 2009 e Agosto de 2014.

O relatório geológico efectuado pela CIAL permitiu concluir que pelo menos 170 quilómetros quadrados do total da duas concessões não continham depósitos de carvão até uma profundidade de 500 metros.

Fonte: Macauhub/MZ

Anúncios