image

Grupo de mediadores internacionais do diálogo para a paz em Moçambique.

Os mediadores do diálogo para a paz em Moçambique deverão seguir, nos próximos dias, para Gorongosa, na província central de Sofala, para se encontrarem com o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, no âmbito da discussão do ponto sobre a cessação de hostilidades, iniciada sexta-feira em sede da comissão mista.

A comissão mista vai ainda encarregar-se de estudar os mecanismos necessários para que a deslocação dos mediadores à Gorongosa decorra com segurança e tranquilidade. Dados em poder do jornal “Notícias” de Maputo indicam que o Governo predispôs-se a criar um corredor de segurança para que os mediadores possam chegar livremente ao local onde se supõe esteja o líder do maior partido de oposição no país, podendo estes, querendo, fazer-se acompanhar de jornalistas.

A equipa de mediação é composta pelo ex-presidente do Botswana, Quett Masire, na Fundação Global Leadership (do antigo secretário de Estado norte-americano para os Assuntos Africanos, Chester Crocker), a Fundação Faith, liderada pelo antigo primeiro-ministro britânico, Tony Blair, e o antigo Presidente da Tanzânia, Jakaya Kikwete (escolhidos pelo governo). A compõe também a União Europeia, a Igreja Católica e o governo sul-africano (escolhidos pela Renamo).

Leia aqui: “É urgente desarmar a Renamo” – ONU

Falando à comunicação social na qualidade de porta-voz da sessão de sexta-feira da comissão mista, o deputado José Manteigas, chefe da delegação da Renamo, disse não haver ainda uma abordagem substancial do ponto sobre a cessação de hostilidades, o segundo da agenda acordada pelas partes.

A comissão concluiu, ainda sexta-feira, a discussão do ponto sobre a exigência da Renamo de governar as seis províncias onde alega ter ganho nas eleições gerais de 2014, que constituía o primeiro ponto da agenda, tendo assumido a tarefa de elaborar uma proposta que verse sobre descentralização e que deverá ser submetida à apreciação da Assembleia da República, segundo deu a conhecer José Manteigas.

As decisões saídas da sessão foram tomadas depois que os mediadores e as delegações do Governo e da Renamo na comissão mista partilharam os posicionamentos e fundamentos de cada uma das partes relativamente à governação das seis províncias.

O próximo encontro da comissão mista deverá ter lugar na segunda-feira, altura em que será discutido o documento contendo as propostas vertidas nas duas decisões saídas da sessão de sexta-feira.

Fonte: AIM

Anúncios