Homens armados da Renamo, o maior partido da oposição, atacaram esta sexta-feira viaturas da Rádio Moçambique e da Televisão de Moçambique, onde seguiam jornalistas com destino ao distrito de Macossa para a cobertura da visita presidencial à província de Manica.

O ataque às viaturas das duas estações públicas de rádio e televisão ocorreu na localidade de Chiuala, distrito de Báruè, em Manica, quando seguiam numa coluna que tinha com destino a província de Tete.

As balas dos homens da Renamo atingiram as viaturas da RM e da TVM, tendo quebrado os vidros das janelas laterais e das portas traseiras. Segundo relatos de testemunhas oculares, não há vítimas mortais, mas um dos ocupantes da viatura da Rádio Moçambique contraiu ferimentos ligeiros, provocados por estilhaços.

No mesmo ataque, outras duas viaturas tiveram igualmente danos materiais.

Num outro desenvolvimento grupo de homens armados dirigidos deste partido, atacou, na madrugada desta sexta-feira, a vila-sede do distrito de Morrumbala, na província central da Zambézia.

Durante o ataque, os homens armados vandalizaram o centro de saúde local, a secretaria distrital e o Comando Distrital da Polícia da República de Moçambique (PRM).

O ataque a vila de Morrumbala foi confirmado pelo oficial de Relações Públicas no Comando Provincial da PRM da Zambézia, Ernesto Serrote.

No comando distrital da PRM, os atacantes invadiram as celas, libertando 23 indivíduos que se encontravam sob custódia policial, há mais de dois meses, em conexão com a prática de vários crimes, enquanto no centro de saúde roubaram medicamentos diversos e colchões.

“Os 23 criminosos, ora foragidos, foram igualmente coagidos a carregarem alguns pertencentes surripiados naquela madrugada com destaques para medicamentos e colchões, uma bicicleta e motorizada”, disse Serrote.

“Na mesma senda incendiaram uma a viatura inoperacional na altura estacionada no comando distrital local”, acrescentou.

De seguida, segundo a fonte, os homens armados da Renamo dispararam, causando danos materiais avultados, mas sem causar vítimas.
.
Entretanto, Serrote garantiu que a convivência social regressou a normalidade na vila sede do distrito, onde as Forças de Defesa e Segurança já estão no terreno para garantir a ordem e tranquilidade públicas.

Questionado pelos jornalistas se os detidos soltos das celas da polícia estariam ainda na situação de reféns, o oficial das relações públicas disse não dispor de mais detalhes.

“Não sabemos, ao certo, se estão na condição de reféns ou se foram mandados embora, mas há um trabalho que está sendo feito para podermos apurar, efectivamente, se esses detidos estarão ou não em poder dos homens da Renamo”, explicou.

Com efeito, Serrote garantiu que já foi lancada uma operação, em conjunto com as subunidades policiais, com vista a neutralização dos foragidos e retorno aos calabouços.

Anúncios