image

Photo: Male lion in Gorongosa (Jeff Reed)

Em todo o mundo, os Leões são vistos como símbolos de coragem, de magia, de orgulho e de África. Há muito tempo, eles existiam em quase todo o continente Africano, e podiam encontrar-se em sítios tão distantes como a Europa e Ásia. Mas hoje, os Leões estão em apuros. A sua população entrou em colapso: de mais de 450.000 apenas há 60 anos atrás, para talvez menos de 20.000 nos dias de hoje. O Parque Nacional da Gorongosa é uma jóia de África e um dos parques de maior biodiversidade do planeta. Durante e após a guerra dos 16 anos, perdeu mais de 95% dos seu animais, mas hoje, está a renascer.

Aqui, na província de Sofala, em Moçambique, uma equipa dedicada de fiscais, cientistas, ambientalistas e outros profissionais, em colaboração com as autoridades e comunidades locais, está a trazer a fauna bravia de volta para o Parque, e a equipa do Projecto dos Leões está a criar um baluarte para os leões no centro de Moçambique.

Há muitas histórias sobre a Gorongosa, e este filme conta a história de duas mulheres notáveis, Celina Dias e Domingas Aleixo, jovens da Vila da Gorongosa, que evoluiram de estagiárias para jovens líderes destemidas e apaixonadas, que se tornaram em fantásticas embaixadoras para a conservação e educação ambiental, e que desempenham um papel vital na equipa de Guardiães de Leões do Parque.

Um grande problema para os leões em estado selvagem é a caça furtiva para obtenção de carne de animais selvagens. Os caçadores furtivos montam armadilhas para outros animais, e, acidentalmente, apanham leões, que podem perder os seus membros e as suas vidas, nestas armadilhas. Tende também a crescer a procura de peles, ossos e unhas de leões para alimentar um mercado internacional ilegal ligado ao uso para fins supersticiosos e de ostentação.

O Projecto dos Leões coloca coleiras com GPS nos leões, seguindo-os à medida que eles se deslocam através do Parque. Eles podem ver se um leão está com problemas, e podem ajudá-lo. A equipa também montou câmaras fotográficas em locais remotos do Parque, para que possam ver os locais em que os leões se movimentam no Parque. Um outro aspecto fundamental é a contagem, identificação individual e atribuição de nomes a cada um dos leões do Parque. Este processo é feito através de fotos e de recolha de amostras de ADN, e este conjunto de técnicas permite ainda estabelecer as relações de parentesco entre os diversos leões do Parque, a sua idade bem como quais são as suas preferências alimentares entre outros factores.

Depois de passar algum tempo como estagiárias do Projecto dos Leões, a Celina e a Domingas prosseguiram a sua formação, obtendo uma valiosa experiência de trabalho nos Estados Unidos num dos principais centros de reabilitação de animais em todo o mundo, e, no caso da Domingas, tendo ido cursar Biologia na Universidade de Coimbra, em Portugal.

A Celina e a Domingas não são os únicos membros da comunidade local que estão a mudar o mundo. O Parque está empenhado em dar aos jovens, e em particular às mulheres, a oportunidade de se tornarem líderes na conservação e na ciência.

Junte-se à Celina e à Domingas no Dia Mundial dos Leões, e comemore a sua viagem pela vida, à medida que elas se tornam em líderes para os mais jovens, capacitando e inspirando uma nova geração. Veja como elas fazem a sua visão tornar-se em realidade: um baluarte para os Leões em Moçambique, protegido pelas pessoas que vivem aqui.

Nota informativa de gorongosa.org

Anúncios