image

Vista aérea da cliníca de deficientes, em Sagamihara (Kyodo/Reuters)

O número de vítimas após um ataque contra um centro de atendimento de pessoas com deficiência, nesta terça-feira (26), em Sagamihara, no oeste de Tóquio, no Japão, subiu para 19 mortos, informou o Departamento dos Bombeiros. 25 pessoas ficaram ferida.

“Os médicos confirmaram a morte de 19 pessoas”, disse um porta-voz dos Bombeiros, revendo um boletim da polícia. O mesmo funcionário informou que dos 25 feridos, 20 estavam em estado grave.

Um homem jovem entregou-se à polícia por volta das 3h local (20horas de segunda, 25, em Moçambique), afirmando ser o autor do ataque, disse o porta-voz policial da prefeitura de Kanagawa. Segundo a agência de notícias “Kyodo”, o agressor seria um ex-funcionário do centro de saúde de 26 anos chamado Satoshi Uematsu.

Ao se entregar a polícia, Uematsu teria dito que “todos os deficientes deveriam desaparecer”.

A polícia, que recebeu uma chamada alertando para o ataque contra o centro, informou que há uma investigação em andamento “para determinar os detalhes” do incidente ocorrido em Sagamihara, cidade de 700 mil habitantes. Segundo a rede de televisão “NHK”, o agressor é um jovem estudante de magistério que havia trabalhado no centro há cerca de dois anos.

O agressor teria quebrado as janelas para entrar no centro, onde havia 160 internos. O estabelecimento, conhecido como Tsukui Yamayuri-en, é integrado por dois prédios principais, além de um ginásio e uma piscina, e abriga pacientes com entre 17 e 75 anos.

Ainda segundo a NHK, a polícia encontrou várias facas em poder do agressor, algumas com sangue.

Anúncios