image

Tony Blair, ex-primeiro ministro britânico – REUTERS/Stefan Rousseau/Pool

O Governo de Moçambique quer convidar para a mesa das conversações de paz com a Renamo o antigo chefe de Estado da Tanzania, Jakaya Kikwete, a Fundação Faith de Tony Blair e a Fundação Global Leadership do ex-subsecretário de Esatdo norte-americano, Chester Crocker. A notícia é avançada pelo diário mediaFax.

O Diário mediaFax escreve que o governo moçambicanos está a fazer diligências para que estas três personalidades se possam juntar à União Europeia, à Igreja católica e África do Sul que foram apresentados pela Renamo para conduzir as negociações de paz com o Governo.

Na semana passada o líder da Renamo afirmou que os mediadores internacionais deviam ter chegado ao país até ontem, mas até agora ainda não se sabe se chegaram ou não.

Consenso sobre a mediação

Filipe Nyusi e Afonso Dhlakama anunciaram no mês de Junho consenso sobre a participação de mediadores internacionais nas negociações para colocar termo aos confrontos que opõem o exército moçambicano e os homens armados do principal partido de oposição.

Todavia este anuncio em nada tem mudado a actual situação que se vive em Moçambique. Nos últimos tempos intensificaram-se os ataques a veículos civis e militares no centro do país, ataques que o governo atribuiu à Renamo. Por seu lado, o principal partido na oposição acusa as Forças de Defesa e Segurança de de continuarem a bombardear a serra da Gorongosa, onde estará Afonso Dhlakama.

Fonte: RFI

Anúncios