image

Perante o Presidente da República portuguesa, em “protesto contra os fundamentalismos” dos tribunais madeirenses, o polémico deputado do Partido Trabalhista Português, José Manuel Coelho, desfraldou uma bandeira do auto proclamado estado islâmico, de natureza terrorista, na sessão solene que decorreu na assembleia regional da Madeira.

Um burburinho de mal-estar instalou-se na sala e Marcelo Rebelo de Sousa não escondeu o incómodo. José Manuel Coelho alega que os magistrados e juízes que chegam à Madeira acabam por “ser capturados pela oligarquia laranja do poder político, deixando de estar ao serviço do povo”. Desfraldando a bandeira negra do estado islâmico justificou esse gesto como um “alerta” em relação ao “estado calamitoso” da justiça na Região Autónoma.

Mais tarde, confrontado pelos jornalistas com o incidente, Marcelo Rebelo de Sousa fez a defesa da Constituição, dizendo que esta permite a “criatividade” manifestada pelo deputado madeirense.

Em 2008 este deputado, na altura pelo Partido da Nova Democracia, exibiu numa sessão parlamentar uma bandeira com a cruz suástica, enquanto chamava “nazis” e “fascistas” aos deputados do PSD e alegando ter sido ameaçado de morte por ordem do então presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim.

Fonte: Lusa

Anúncios