A antiga primeira-ministra de Moçambique, Luísa Diogo, acredita que o país vai superar as consequências da dívida pública, contudo terá de passar por momentos difíceis.

Falando sábado em Maputo, a margem da cerimónia de deposição da coroa de flores na Praça dos Heróis moçambicanos, por ocasião dos 41 anos da independência do país, Diogo explicou que a dívida pública afecta directamente o Orçamento do Estado (OE) e vai atingir os sectores de desenvolvimento.

“Do ponto de vista económico e do ponto de vista social, vamos passar momentos difíceis, porque quando se afecta o maior instrumento económico e de desenvolvimento do país, que é o Orçamento do Estado, tudo fica afectado. Então, vamos enfrentar momentos difíceis, mas conscientes que vamos superar”, disse.

Diogo acrescentou que o Governo está a empenhar-se para encontrar as melhores soluções, pelo que os problemas devem ser enfrentados com serenidade.

“Nós os moçambicanos já enfrentamos muitos problemas mais que estes e conseguimos superar”, sublinhou.

Sobre os 41 anos da independência, a antiga primeira-ministra disse que deve servir de um momento de reflexão para o futuro do país, e que os moçambicanos devem se inspirar nos ideais do primeiro Presidente de Moçambique, Samora Machel.

Comentando sobre a retirada do Reino Unido da União Europeia, Diogo acredita que aquele país europeu vai continuar a ter as “boas relações” com Moçambique.

“Nós temos relações bilaterais muito boas e certamente que vão continuar”, frisou.

Fonte: AIM

Anúncios