O governo de Moçambique aprovou o plano de avaliação apresentado pela Wentworth Resources para a prospecção petrolífera em terra numa concessão localizada no norte do país, informou a empresa em comunicado divulgado quarta-feira.

O governo, através do Ministério dos Recursos Minerais, aprovou ainda a assunção pela empresa do estatuto de operador do bloco com um aumento da participação no projecto de 11,59% para 85%, ficando os restantes 15% na posse da estatal Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH).

O programa de prospecção iniciar-se-á ainda este ano com uma nova análise a dados sísmicos já existentes, que será seguida em 2017 da aquisição de novos dados sísmicos em duas dimensões e em 2018 da perfuração de um poço após a identificação do local apropriado.

Em Dezembro de 2014 a empresa descobriu gás natural e condensados no poço Tembo-1, na sequência de um furo efectuado a uma profundidade de cerca de 4400 metros.

O consórcio inicialmente envolvido nesta concessão incluía, além da Wentworth Resources, com 11,59%, os grupos norte-americano Anadarko Petroleum, francês Maurel et Prom, estatal tailandês PTTEP e a estatal moçambicana Empresa Nacional de Hidrocarbonetos.

A Wentworth Resources é uma empresa cotada nas bolsas de valores de Londres e de Oslo envolvida na exploração de recursos petrolíferos na bacia do Rovuma, que abrange o norte de Moçambique e o sul da Tanzânia.

Fonte: Macauhub/MZ

Anúncios