imageHomens armados da Renamo, o maior partido da oposição em Moçambique, atacaram segunda-feira um comboio da mineradora brasileira Vale, na zona de Lavos, distrito de Cheringoma na província central de Sofala, ferindo uma pessoa e provocando danos materiais avultados.

A composição transitava ao longo da linha de Sena, um corredor que estabelece a ligação entre a vila carbonífera de Moatize, na província central de Tete, e o porto da Beira, em Sofala.

O comandante da Polícia da Republica de Moçambique (PRM), em Sofala, Alfredo Mussa, é citado pelo jornal “Noticias” como tendo dito que o ajudante do maquinista contraiu ferimentos provocado pela quebra do vidro pára-brisas durante o ataque.

A composição, segundo Mussa, que seguia no sentido Beira/Moatize, era formada por duas locomotivas e 42 vagões vazios depois do ataque prosseguiu a marcha até ao destino.

A PRM, segundo o comandante prossegue buscas na zona para neutralizar os atacantes.

A fonte destacou que se trata do primeiro ataque do género protagonizado por homens armados da Renamo desde 11 de Fevereiro, altura em que a província de Sofala começou a ser palco de ataques daquele antigo movimento rebelde contra alvos civis.

Na ocasião, o comandante da PRM, apelou ao líder da Renamo para parar com os ataques que só provocam luto e destruição de bens públicos e privados e impedem a livre circulação de pessoas e bens.

Segundo Mussa, estes actos não se justificam numa altura em o Governo e a Renamo preparam, o encontro entre o Chefe do Estado Filipe Nyusi e o líder da Renamo, Afonso Dhlakama.

Fonte: AIM

Anúncios