Filipe_nyusi_afonso_dhlakama

Filipe Nyusi e Afonso Dhlakama em fevereiro de 2015/Foto de Ferhat Momad (AIM)

A Comissão Mista, constituída por membros do governo e da Renamo, o maior partido da oposição em Moçambique, afirma ter conseguido consensualizar a proposta da agenda para o diálogo entre o Presidente da República, Filipe Nyusi, e o líder daquela formação política, Afonso Dhlakama.

A proposta será submetida as lideranças das duas partes para subsequente aprovação do “produto” definitivo, segundo o deputado da Renamo, José Manteigas, que falava hoje a imprensa no termo de duas horas de diálogo, à porta fechada, nas instalações da Assembleia da República (AR), o parlamento moçambicano.

Manteigas, que não revelou detalhes dos consensos alcançados, disse, por outro lado, que a Comissão Mista conseguiu igualmente estabelecer as linhas gerais dos termos de referência, até porque faz parte do mandato da comissão para o pacote do diálogo.

“Acreditamos que no próximo encontro, que será na quarta-feira as 15 horas, poderemos trazer de forma mais específica os termos de referência que vão nortear o diálogo ao mais alto nível”, disse Manteigas.

O governo e a Renamo mantiveram, entre Abril de 2013 e Agosto de 2015, diversas rondas de diálogo político (114 sessões), que no entanto não foram susceptíveis de gerar consenso em torno dos temas que estavam na mesa para debate.

Todavia, volvidos oito meses, as partes voltam a reunir com uma nova composição nos rostos que integram a Comissão Conjunta. O governo indicou, em Março, o ex-ministro da segurança, Jacinto Veloso, que é igualmente membro do Conselho de Defesa e Segurança, a ex-ministra da Justiça, Benvinda Levy, e Alves Muteque funcionário do Gabinete do Presidente da República.

A Renamo, por seu turno, indicou André Magibire, Eduardo Namburete e José Manteigas que são todos membros da sua bancada parlamentar na Assembleia da República, o parlamento moçambicano.

Fonte: AIM

Anúncios