SAMSUNG CAMERA PICTURES

Henrique Botequilha, delegado da Lusa em Moçambique

A Lusa, agência de notícias portuguesa, admite ter cometido erros no tratamento da informação dando conta da existência de uma vala comum na zona de Canda, no distrito de Gorongosa, em Sofala.

A Lusa também afirma que a fotografia usada para ilustrar a alegada existência de uma vala comum com cento e vinte corpos, é falsa, que os outros órgãos de comunicação social, com maior destaque para os estrangeiros, se apoiaram do conteúdo publicado pela agência para desinformar os seus leitores.

Segundo o delegado da agência, o incumprimento de princípios elementares do jornalismo deveu-se aos constrangimentos que o repórter do órgão teve para aceder ao local, onde os camponeses alegaram existir uma vala comum.

Henrique Botequilha teceu estas considerações, esta sexta-feira, durante uma audição com a comissão parlamentar dos assuntos constitucionais, direitos humanos e de legalidade, a fim de esclarecer sobre as vias pelas quais obteve a informação da existência de uma vala comum, com cento e vinte corpos (Leia aqui)

Botequilha disse, igualmente, que o repórter teria tentado, várias vezes, deslocar-se ao local apontado pelos camponeses, mas que foi impossível aceder a zona, devido às hostilidades militares entre a Renamo e aa forças governamentais.

Quanto às imagens, falsas, publicadas, dando conta da existência de uma vala comum com cento e vinte corpos, o Delegado da lusa sublinhou que tratou-se de um equívoco.

O Presidente da comissão parlamentar dos assuntos constitucionais, direitos humanos e de legalidade, Edson Macuácua, disse que a audição serviu para clarificar e dar pistas sobre o assunto, em investigação.

No que se refere a alegada correção da falsa fotografia publicada pelos órgãos de comunicação, dando conta da existência de uma vala comum com cento e vinte corpos, em Canda, Macuácua, disse que o assunto será discutido a posteriori.

Na segunda-feira a primeira Comissão Parlamentar desloca-se à província de Sofala para dar continuidade às investigações.

Fonte: ecanoticias.info

Anúncios