image

Andrea Riccardi, fundador da Comunidade de Santo Egídio

O Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, que esteve este mês em Moçambique, reúne-se esta terça-feira com o fundador da Comunidade de Santo Egídio, Andrea Riccardi. Na agenda está a nova crise entre Renamo e Frelimo naquele país africano.

A Comunidade de Santo Egídio foi, em 1992, a mediadora para a paz em Moçambique e está, desde então, no terreno com elementos espalhados por algumas cidades e aldeias.

A a Rádio Renascença entrevistou Andrea Riccardi, que fundou esta comunidade de leigos em Roma, em 1968. Riccardi dará uma conferência esta terça-feira, às 18h00, no edifício antigo da Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa. Uma conversa que vai da preocupação do Papa com as periferias à situação em Moçambique.

Tem uma reunião esta terça-feira com o Presidente da República português com a tensão em Moçambique como pano de fundo.
A Comunidade de Santo Egídio trabalha sobre os temas da guerra e do diálogo para a paz e Moçambique é exemplo disso, com a paz alcançada em 1992, na sede de Santo Egídio, depois de uma terrível guerra que durou muitos anos e fez um milhão de mortos.

Sei que existe em Moçambique uma situação tensa. A paz durou mais de 20 anos, mas agora é preciso encontrar um novo equilíbrio. É esta a realidade fundamental. É um momento delicado.

Quanto ao papel de Portugal, considero que é sempre importante na história de Moçambique, não só no plano externo, mas também interno. E, como em todas as realidades internas, é muito amado, e sentido, mas às vezes ainda pesa a memória do passado colonial.
E o facto de a Comunidade de Santo Egídio surgir como uma espécie de especialista externo ajuda ao diálogo? Porque foi preciso vir a Comunidade de Santo Egídio para tentar consolidar a paz?

Sabe, a vida está cheia de surpresas e casos. Santo Egídio é uma realidade interna em Moçambique, porque existem dezenas de comunidades nas cidades e aldeias, desde 1992, com moçambicanos que trabalham para os pobres e pela solidariedade e que têm no coração a causa da paz.

Anúncios