image

José Rodrigues dos Santos explicou que o “problema” da dívida pública remonta a 2005 e que piorou quando o Eurostat descobriu “dívida escondida”/João Relvas-Lusa

Os socialistas (Partiro Socialista, no governo) estão indignados com a forma como o jornalista José Rodrigues dos Santos explicou o aumento da dívida pública em Portugal. Acusam o pivot da RTP de “desinformação” e criticam o serviço prestado pela RTP.

Foi na segunda-feira, na abertura do telejornal, que José Rodrigues dos Santos explicou como evoluiu a dívida pública nos últimos anos, recuando, para isso, a 2005, quando estava José Sócrates à frente do Governo. “Em 2005 a dívida pública portuguesa atingiu os 96 mil milhões de euros, correspondentes a 62% do PIB” e “e isto obrigava Portugal a travar o endividamento”. “Mas em vez de travar, Portugal fez exatamente o contrário: o endividamento disparou.”

“Para agravar as coisas, o Eurostat descobriu que vários países, incluindo Portugal, estavam a esconder a dívida em empresas públicas, dívida que não era incluída nas contas nacionais. Ou seja, o país continuava a endividar-se mas escondíamos a dívida. Bruxelas deu ordem para alargar o perímetro orçamental também às empresas públicas, o que fez ainda disparar mais os números da dívida. De tal modo que no mês passado a dívida pública portuguesa atingiu os 233 mil milhões de euros.”

Estas explicações não caíram bem no seio do Partido Socialista. O primeiro a lançar críticas foi José Magalhães: primeiro na sua conta do Twitter — considerando as explicações de “vigarice extrema” — e mais tarde no Facebook — onde também se referiu à “degradação” do serviço público.

Seguiu-se o deputado João Galamba, que começou por apelidar José Rodrigues dos Santos como “especialista em desinformação”, para depois defender que não foi descoberta “nenhuma dívida escondida” porque “a razão pela qual a dívida de algumas empresas não era reconhecida como dívida pública era exatamente por causa do Eurostat e das regras contabilísticas definidas por esta instituição”. E acrescentou que a única dívida escondida em Portugal foi a dívida da Madeira.

Por sua vez, segundo a edição desta quarta-feira do i, os deputados do PSD acusam os socialistas de quererem “calar e domar o trabalho” dos jornalistas “que apresentam notícias factuais sobre a evolução da dívida”.

In observador.pt

Anúncios