Gasoduto_mocambique

Empresas públicas e privadas de Moçambique, África do Sul e da China assinaram um acordo de cooperação que se centra na construção de um gasoduto de grande diâmetro com uma extensão de 2600 quilómetros e um custo de 6 mil milhões de dólares, informou a sul-africana SacOil.

Os signatários deste acordo foram a estatal moçambicana Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH), a Profin Consulting, um consórcio privado moçambicano, a empresa sul-africana SacOil Holdings Limited (SacOil) e a China Petroleum Pipeline Bureau, uma subsidiária da China National Petroleum Corporation (CNPC) especializada na construção de oleodutos e gasodutos.

Este acordo de cooperação, que pretende aproveitar o gás natural a extrair na bacia do Rovuma, norte de Moçambique, contempla a construção de um gasoduto entre a região produtora, as Áreas 1 e 4 da bacia do Rovuma, e Gauteng, na África do Sul.

Este gasoduto ajudará a África do Sul a responder à crescente procura por gás natural para a produção de energia eléctrica e servirá igualmente para abastecer as regiões de Moçambique ao longo do percurso.

Os países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral que poderão ser beneficiados com a construção deste gasoduto incluem  o Malaui, Zâmbia, Zimbabué, Botsuana, Lesoto e Suazilândia. (Macauhub/CN/MZ)

Anúncios